Anuncios

SEJA NOSSO PATROCINADOR, DIVULGUE SUA MARCA E SEJA RECOLHECIDO MUNDIALMENTE!
 

Edison Brittes. Empresário adorava ostentar a riqueza que possui

Edison Brittes. Empresário adorava ostentar a riqueza que possui

Arquivo Pessoal

São Paulo, Brasil
Edison Brittes tem um apelido que adorava.
'Juninho Riqueza'.
Empresário bem sucedido, adorava circular por Curitiba ao lado da mulher e da filha. Sempre em carros caros, usando roupas da moda, joias. Morava também em uma casa enorme, com dois leões esculpidos na entrada.
Sempre gostou de ostentar o alto padrão que conquistou na vida.
Ele é o assassino confesso do mais brutal assassinato de um jogador no Brasil.
Edson e mais três cúmplices espancaram Daniel Correa, meia do São Paulo, até a beira da morte. Depois, Brittes, com uma faca de churrasco, o matou, com um corte profundo no pescoço. Ele queria decapitar o atleta de 24 anos.
Já morto, ele o mutilou.
Cortou seu pênis e o jogou em cima de uma árvore.
O bárbaro crime aconteceu no dia 27 de outubro de 2018, em São José dos Pinhais.
O motivo do assassinato foi Daniel ter invadido o quarto de sua mulher Cristiana, que dormia. Deitado na cama e tirado fotos e as divulgado em grupos de WhatsApp.
Edison gastou cerca de R$ 30 mil com a festa de 18 anos da filha

Edison gastou cerca de R$ 30 mil com a festa de 18 anos da filha

Arquivo Pessoal
Além de matar o jogador e jogar seu corpo em um matagal, Edison ainda coagiu testemunhas do crime.
A justiça mandou revogar as prisões de David William Vollero, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva e Ygor King, apontados como cúmplices de Edison.
A mulher Cristiana e a filha Allana já estão fora da cadeia. Os cinco esperarão em liberdade o julgamento do assassinato.
Só Edison continua preso, por sua 'alta periculosidade'.
Está na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Piraquara.
E o empresário que ostentava riqueza recebeu muito mal a decisão da juíza Márcia Hübler Mosko, da 3ª Vara de São José dos Pinhais.
Ela determinou que ele pague R$ 5 mil como pensão à filha do jogador. 
Até que complete 25 anos.
Alice tem apenas dois anos e sete meses.
Filha de ex-mulher do atleta, era ele quem arcava com toda a despesa financeira da menina.
Edison já avisou seu advogado.
Vai recorrer até a última instância.
Não aceita pagar a pensão para a menina.
De jeito algum.
Seja o valor que for.
Só para constar:  a festa de aniversário de 18 anos de Allana, que culminou no brutal assassinato, custou perto de R$ 30 mil. 
Daniel no aniversário de um ano de Alice. A menina está com dois anos e sete meses

Daniel no aniversário de um ano de Alice. A menina está com dois anos e sete meses

Arquivo Pessoal
O valor foi levantado pela imprensa paranaense.
A defesa do jogador e sua família não querem falar publicamente sobre a decisão da juíza.
Mas haverá outro embate na justiça.
"Juninho Riqueza" não aceita pagar o sustento da filha do homem que matou. Fonte: R7.
Reações:
 
Top