Brasil pode ter novo feriado nacional; veja a data e motivo

SALVADOR, BRASIL - 15 DE AGOSTO: Uma rua vazia na Ladeira do Pelourinho em meio à pandemia de coronavírus (COVID-19) em 15 de agosto de 2020 em Salvador, Brasil. A cidade de Salvador passou a amenizar a quarentena e o isolamento social. Lojas, bares e restaurantes foram gradativamente abrindo e retomando suas atividades. A Secretaria de Estado da Saúde da Bahia (Sesab) informou que a Bahia já ultrapassou 200 mil casos confirmados de COVID-19 e mais de 4.200 óbitos. Só na cidade de Salvador, mais de 2.000 pessoas morreram em decorrência do coronavírus. (Foto de Bruna Prado / Getty Images)

Novo feriado: O relator do projeto, senador Flávio Arns (Podemos-PR), disse que esse dia já é tradicionalmente voltado à Irmã Dulce na Bahia (Bruna Prado/Getty Images)

 O Brasil pode ter novo feriado nacional. A Comissão de Educação do Senado aprovou na última quinta-feira, 18, um projeto de lei que cria o feriado de Santa Dulce dos Pobres, em homenagem a Irmã Dulce.

O projeto do senador Angelo Coronel (PSD-BA) segue para análise da Câmara dos Deputados e, se  aprovado, precisa de sanção presidencial para entrar em vigor.

A data do novo feriado seria no dia 13 de março, o dia da morte da Irmã Dulce, que faleceu em 1992, em Salvador.

O relator do projeto, senador Flávio Arns (Podemos-PR), disse que esse dia já é tradicionalmente voltado à Irmã Dulce na Bahia, com lembrança do seu trabalho em prol dos mais necessitados.

Quem é irmã Dulce?

Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes nasceu em Salvador em 26 de maio de 1914. Filha de Augusto Lopes Pontes, dentista e professor da Universidade Federal da Bahia, e de Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes. Desde criança, Irmã Dulce já demostrava que desejava seguir a vida religiosa. Quando adolescente, começou a ajudar pessoas em situações de rua e doentes.

Em fevereiro de 1933, entrou para a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, em São Cristóvão, Sergipe. No mesmo ano, fez votos e tornou-se freira. A escolha do nome de Irmã Dulce foi em homenagem a sua mãe. 

Ela foi professora e atuou para ajudar pessoas mais pobres. Entre seus feitos, está a criação de um colégio e de um alberque para doentes que se transformou no Hospital Santo Antônio. Em 1988 ela foi indicada ao prêmio Nobel da Paz, porém não ficou com o título. Ela viveu até os 77 anos.

Irmã Dulce foi canonizada em outubro de 2019, 27 anos após a sua morte, e é a primeira santa brasileira. Conhecida como "Anjo Bom da Bahia", Santa Dulce dos Pobres tem o dia comemorado em 13 de agosto.

Fonte: Exame


Comentários