Cidades de ao menos cinco estados estão sem AstraZeneca para 2ª dose no

 

DADO RUVIC/REUTERS

Cidades de pelo menos cinco estados brasileiros estão sem doses da vacina da Astrazeneca-Oxford para a aplicação da 2ª dose que compõe o esquema vacinal. São Paulo, Rio Grande do Norte, Tocantins e Rondônia e Mato Grosso do Sul estão sem o imunizante em decorrência de atraso na produção do imunizante na Fiocruz, no Rio de Janeiro. 

De acordo com informações da Record TV, a Fiocruz teve de interromper a produção pela falta do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo). O Ministério da Saúde teve de recorrer às doações do laboratório Astrazeneca e espera entregar na próxima semana 5 milhões de doses. Em setembro, a Fundação espera a entrega de um total de 15 milhões de doses. 

cidade de São Paulo está sem doses do imunizante. De acordo com a secretaria municipal de saúde, até a sexta-feira (11), o município tinha cerca de 800 doses de vacinas da Astrazeneca. Hoje, a cidade aguarda a chegada de mais vacinas.

Enquanto isso, o estado de São Paulo decidiu vacinar com Pfizer as pessoas que estão com a segunda dose da AstraZeneca em atraso, informou a Secretaria de Estado da Saúde nesta sexta-feira (10). Podem se vacinar aqueles que estiverem com a dose vencida entre os dias 1 e 15 de setembro.

O governo atribuiu a medida ao que chamou de "apagão" do Ministério da Saúde, que deixou de enviar cerca de um milhão de doses ao estado no mês de setembro. Em nota a secretaria informa que entregará aos municípios 400 mil doses extras de Pfizer que chegaram nos últimos dias e serão remanejadas para suprir o atraso. As prefeituras estão autorizadas a aplicar vacinas da Pfizer que tiverem no estoque.

Em relação às demais capitais, Brasília (DF), Vitória (ES) e Cuiabá (MT) informaram por meio de nota que possuem doses da vacina Astrazeneca. A Secretaria de Saúde de Vitória (Semus) informou que, até o momento, não há falta de imunizantes para a segunda dose de AstraZeneca. "A Semus reforça que recebe as doses do Estado, conforme o aprazamento das vacinas", disse a pasta. 

A secretaria de saúde do Distrito Federal, por sua vez, informou que não há falta de vacinas para segunda dose. "Desde o início da vacinação, a pasta adotou a postura de reservar as vacinas de segunda dose para que a imunização não ficasse incompleta", declarou o órgão. 

Já a secretaria de saúde de Cuiabá informou que possui imunizantes da AstraZeneca para a aplicação da 2ª dose até o final do mês de setembro. 

O Ministério da Saúde informou, também por meio de nota, que não deve quantitativo de segunda dose das vacinas covid-19 a nenhum estado brasileiro. "As alterações feitas por estados e municípios no Plano Nacional de Operacionalização da Vacianação contra a Covid-19 (PNO), como descumprir o que foi pactuado em reunião tripartite (União, estados e municípios), acarretam na falta de doses para completar o esquema vacinal na população brasileira."

A pasta disse ainda que "para evitar esse cenário" estados, municípios e o Distrito Federal devem seguir o Plano Nacional de Operacionalização da Vacianação contra a Covid-19 (PNO).

Fonte: R7



Comentários